A - I n f o s

a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **
News in all languages
Last 40 posts (Homepage) Last two weeks' posts Our archives of old posts

The last 100 posts, according to language
Greek_ 中文 Chinese_ Castellano_ Catalan_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ _The.Supplement

The First Few Lines of The Last 10 posts in:
Castellano_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_
First few lines of all posts of last 24 hours | of past 30 days | of 2002 | of 2003 | of 2004 | of 2005 | of 2006 | of 2007 | of 2008 | of 2009 | of 2010 | of 2011 | of 2012 | of 2013 | of 2014 | of 2015 | of 2016 | of 2017 | of 2018 | of 2019 | of 2020 | of 2021 | of 2022 | of 2023 | of 2024

Syndication Of A-Infos - including RDF - How to Syndicate A-Infos
Subscribe to the a-infos newsgroups

(pt) France, FA: O trabalho aliena e mata, vamos nos emancipar e construir a anarquia! 01-05-2024 (ca, de, en, fr, it, tr)[traduccion automatica]

Date Wed, 15 May 2024 08:52:45 +0300


Para o dia 1º de maio de 2024, a Federação Anarquista reafirma sua solidariedade e seu compromisso dentro do movimento social. Vamos formar procissões libertárias, multiplicar iniciativas de solidariedade, organizar ações, fazer viver a autogestão em todos os lugares! ---- Não nos enganamos sobre a real importância do momento. Mas pensamos que devemos estar lá hoje para não deixar esta data para reformistas de todos os tipos porque o 1º de Maio é profundamente anarquista: ---- No século XIX, a revolução industrial e o desenvolvimento do capitalismo deram origem ao trabalho classe que nunca deixou de lutar pela conquista de direitos e pela garantia de sua dignidade. Em 1886, nos Estados Unidos, os sindicatos de trabalhadores convocaram uma marcha para exigir uma jornada de trabalho de 8 horas. Em 1º de maio de 1886, 340 mil trabalhadores marcharam por todo o país. A polícia, sob o domínio de uma elite capitalista, mafiosa e corrupta, dispersa violentamente os manifestantes, deixando duas pessoas mortas e muitas feridas.

As paredes ficam então cobertas de apelos à revolta. Em 4 de maio, o movimento continuou na Haymarket Square, em Chicago, centro do protesto anarquista. Ao final da manifestação, uma bomba explode entre os policiais e mata alguns agentes.

Erradamente e a título de exemplo, várias dezenas de activistas anarquistas foram presos e oito deles foram condenados à morte. Mais tarde seria confirmado que o chefe da polícia de Chicago tinha organizado tudo e mesmo, sem dúvida, ordenado o atentado bombista de 4 de Maio para justificar a repressão, o massacre e para tentar sufocar o movimento.

Este trágico acontecimento provocará a ira das pessoas exploradas em todo o mundo. O dia 1º de maio se torna então o Dia Internacional de Luta dos trabalhadores, das classes trabalhadoras e daqueles que estão em dificuldades.

Já é tempo de o medo e o derrotismo mudarem de lado!

Hoje, sabemos, é todo um sistema que deve ser derrubado, porque enquanto o capitalismo fizer a sua lei, ajudado pelos Estados e pelos seus polícias que os protegem, estamos condenados a lutar para preservar as migalhas. É imperativo estabelecer um equilíbrio de poder mais amplo e poderoso, através de todos os tipos de ações que consideramos necessárias.

Confrontados com o desprezo e a violência dos grandes chefes, confrontados com ataques estatais anti-sociais e racistas, temos de recuperar as nossas vidas. Isto implica auto-organizar-se localmente para dar vida, aqui e agora, a alternativas concretas, como cooperativas alimentares e cantinas autogeridas, centros de acolhimento, fundos de solidariedade internacionais e muitas outras iniciativas, a serem consolidadas ou construídas com aqueles que lutam contra. opressão.

As lutas locais e estas alternativas respondem às necessidades imediatas. Estão o mais próximos possível da realidade quotidiana vivida, permitem-nos escapar à estagnação e assim vislumbrar o mundo futuro.

Então, chega de seu "valor de trabalho", 1º de maio não é um dia para glorificar o trabalho como o regime de Vichy o estabeleceu em 1941! O 1º de Maio continua a ser o símbolo da libertação social através da acção directa, tal como a greve geral, a expropriação e a autogestão.

Queremos criar uma sociedade livre, sem classes nem fronteiras, onde cada pessoa possa definir-se e mover-se como quiser, sem controlo ou discriminação.

Então nos vemos no dia 1º de maio nas ruas, nos locais de luta, nas iniciativas...!

Viva o 1º de Maio e viva o anarquismo!

A Federação Anarquista

https://federation-anarchiste.org/?g=Lien_Permanent&b=1_247
_________________________________________
A - I n f o s Uma Agencia De Noticias
De, Por e Para Anarquistas
Send news reports to A-infos-pt mailing list
A-infos-pt@ainfos.ca
Subscribe/Unsubscribe https://ainfos.ca/mailman/listinfo/a-infos-pt
Archive http://ainfos.ca/pt
A-Infos Information Center